Terça-feira, 29 de Novembro de 2011

Fim de Feriados ou Crime de Lesa Pátria

Cumprindo como fiel devoto as imposições da troika, o Governo prepara-se para anunciar a redução de alguns feriados, existindo a proposta de se proceder à eliminação de dois feriados civis e dois feriados religiosos.

 

Álvaro Santos Pereira, o bizarro Ministro da Economia, que numa intervenção patética no Parlamento veio anunciar que 2012 seria o ano do fim da crise, e depois veio a desdizer o que disse, numa reunião que teve com os demais parceiros da concertação social, veio anunciar a proposta do Governo para a eliminação de 2 feriados nacionais.

 

A proposta do Governo passa por se proceder à eliminação dos feriados de 5 de Outubro e de 1 de Dezembro.

 

Sobre a eliminação do 5 de Outubro, nada tenho a opor, porquanto se comemora a implantação de um regime, que resultou de uma guerra fraticida entre Portugueses, e que só foi possível implantar porque dois anos antes o Rei D. Carlos I e o Principe Herdeiro, D. Luís Filipe foram cobardemente assassinados por dois energúmenos a soldo de uma associação criminosa, que era a Carbonária, braço armado da não menos sinistra Maçonaria.

 

Se D. Carlos I e o Princípe Herdeiro, D. Luís Filipe não tivessem sido cobardemente assassinados, a República jamais seria implantada, e o País não estava no estado em que se encontra.

 

Graças a Deus que não sou republicano, pelo que não comemoro algo com o qual não me identifico. O feriado de 5 de Outubro deve ser comemorado, isso sim, como o da fundação da nossa nacionalidade, ocorrida a 5 de Outubro de 1143. Como não é isso o que acontece, podem eliminar o feriado de 5 de Outubro à vontade, uma vez que não há coragem política para comemorar a fundação da nossa nacionalidade. Devemos ser o único País no Mundo que não comemora a nossa nacionalidade.

 

Mas o que é inaceitávbel e intolerável é que se pretenda acabar com o feriado de 1 de Dezembro, em que Portugaç comemora a Restauração da sua Independência.

 

Foi a 1 de Dezembro de 1640 que um grupo de Patriotas, chefiado pelo Duque de Bragança, D. João, que viria a ser coroado Rei como D. João IV, decidiu pôr cobro a 60 anos de domínio espanhol, restaurando a Independência de Portugal.

 

A Restauração da Independência de um País é algo que deve ser motivo de orgulho não só para esse País, como para o respectivo povo. Consagrar como feriado o dia da Restauração da Independência de um País é a melhor forma de não só se recordar esse evento, como prestar uma justa e sentida homenagem àqueles a quem essa Restauração se deve.

 

O feriado de 1 de Dezembro é o feriado mais antigo existente em Portugal. E agora o Governo quer acabar com ele. Não pode ser, pois isso consubstancia um crime de Lesa Pátria.

 

Mas há um motivo para o Governo querer acabar com a comemoração do feriado de 1 de Dezembro. É que, fruto de (des)governações que o País tem tido ao longo de vários anos, o País, para além de ter sido dirigido por mente captos sem preparação, foi progressivamente perdendo a sua soberania. Perda de soberania essa que se agravou com o modo como aderimos à União Europeia onde, ao contrário do Reino Unido, não soubemos preservar a nossa soberania.

 

Hoje praticamente já não temos soberania. Somos governados por potências estrangeiras, e o actual Governo mais não é do que um comissário político das potências que governam em Portugal. Quanto mais depressa acabarem com os poucos simbolos da portugalidade, melhor. Daí que o Governo queira acabar com o feriado de 1 de Dezembro.

 

Já agora permitam-me que sugira ao Governo que acabe com o feriado de 25 de Abril. É que se comemora uma revolução atípica, aberrante e sui generis, que deixou o País num abismo profundo, e cujas consequências dessa funesta revolução ainda estamos a pagar. Quero deixar aqui bem claro que com isto não estou a fazer nenhuma apologia do antigo regime, no qual não me revejo. A direita na qual me revejo não estava com o 24 de Abril. Todavia não veio sair para a rua comemorar o 25 de Abril, e não está com o 26 de Abril e toda a fantochada subsequente.

 

Acabar com o feriado de 1 de Dezembro é um crime de Lesa Patria que nenhum Português que se preze pode permitir que se cometa. Exige-se acção e luta pela Nação, porque ontem, hoje e sempre Portugal é e terá que ser Independente. Nem que se tenha que fazer um novo 1º de Dezembro.

publicado por novadireita às 11:22
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds