Sexta-feira, 18 de Novembro de 2011

...

Paula Teixeira da Cruz, a actual Ministra da Justiça, foi protagonista de um lamentável e deplorável incidente, que só serviu para manchar ainda mais a imagem da Justiça em Portugal.

 

Com efeito, Paula Teixeira da Cruz deslocou-se à Figueira da Foz no passado fim de semana, a fim de assistir à sessão de abertura do VII Congresso dos Advogados Portugueses, e aí proferir um discurso. Até aí, tudo bem.

 

Só que no discurso que proferiu, a Ministra da Justiça insultou em directo o Bastonário da Ordem dos Advogados, que também é seu Bastonário, já que Paula Teixeira da Cruz é Advogada de profissão, proferindo uma série de despudoradas mentiras sobre António Marinho e Pinto, tendo o topete de dizer que António Marinho e Pinto usava a mentira, a calúnia e a ofensa como armas de arremesso. E, de seguida, cobardemente abandonou a sala, com o pífio argumento de que tinha que estar no Parlamento para a discussão e a votação na generalidade do Orçamento de Estado para 2012. Quando, em abono da verdade, não foi essa a informação que foi dada pelo gabinete de Paula Teixeira da Cruz ao Secretariado do VII Congresso dos Advogados Portugueses.

 

Tenho uma declaração de interesses a fazer. Sou Amigo há vários anos de António Marinho e Pinto, tenho profundas divergências políticas, de princípios e de valores com Paula Teixeira da Cruz, e, por motivos pessoais não pude estar presente no VII Congresso dos Advogados Portugueses. Mas fiquei revoltado e indignado com a peixeirada - e este é o termo mais brando que no momento tenho para classificar o comportamento da Ministra da Justiça - feita por Paula Teixeira da Cruz na Figueira da Foz.

 

Vir dizer que António Marinho e Pinto usa da mentira, da calúnia e da ofensa pessoal como arma de arremesso para conseguir os seus objectivos é tão leviano, como tão leviano é quem profere tão grotesca afirmação.

 

Com efeito, António Marinho e Pinto, com todas as qualidades e defeitos que possui, tem a coragem de pôr a nú muitos dos podres da Justiça neste País. António Marinho e Pinto tem a coragem de, sem papas na língua, chamar os bois pelos nomes, denunciar muitos dos escândalos da Justiça em Portugal, põe o dedo na ferida, e tem a coragem de dizer que o Estado Português comporta-se como um reles caloteiro no que tange ao pagamento dos honorários e despesas dos Advogados Portugueses que prestam o patrocínio oficioso a todos os cidadãos que não têm capacidade económica para pagar os honorários de um Advogado e as custas de um processo. Coragem essa que eu aplaudo e subscrevo incondicionalmente.

 

E Paula Teixeira da Cruz, à boa imagem e semelhança dos devedores relapsos, dá desculpas esfarrapadas para se furtar ao cumprimento de obrigações por parte do Ministério que tutela. Para além de dizer que o Ministério da Justiça está sem dinheiro (todavia há dinheiro para pagar os ordenados dos Juízes e dos Magistrados do Ministério Público), lança anatemas e suspeições sobre os Advogados, dizendo que os mesmos praticam irregularidades no pedido de pagamento dos seus honorários. Tudo porque o que Paula Teixeira da Cruz pretende é acabar com o actual modelo de apoio judiciário, e criar em alternativa essa sinistra figura do Defensor Público.

 

Mas há um motivo para Paula Teixeira da Cruz ter tido o deplorável comportamento que teve na Figueira da Foz. Paula Teixeira da Cruz tem uma ligação amoroso com um irmão de João Correia, que foi Secretário de Estado da Justiça no anterior Governo presidido por José Sócrates, e que é sócio de um grande escritório de advocacia de Lisboa. O que levou a que a Ministra da Justiça tivesse escolhido para seu Chefe de Gabinete um Colega do escritório do seu cunhado, e tivesse nomeado para presidir às Comissões de Reforma do Código de Processo Civil e do Código da Insolvência e Recuperação de Empreas precisamente o seu cunhado. Que, por sua vez, escolheu amigos seus, alguns deles do seu escritório, para integrarem essas mesmas comissões.

 

Acresce que João Correia candidatou-se a Bastonário da Ordem dos Advogados nas eleições de 2004, numa lista da qual Paula Teixeira da Cruz fazia parte. Essa lista foi copiosamente derrotada, e João Correia e seus apoiantes, entre as quais a actual Ministra da Justiça, culpabilizaram António Marinho e Pinto pela derrota humilhante que tiveram. Quando António Marinho e Pinto venceu as eleições para Bastonário da Ordem dos Advogados em 2007, esse grupo não digeriu os resultados eleitorais, tendo sido protagonista no triénio 2007/2010 de uma página de ignomínia na história da Ordem dos Advogados, com ataques pessoais lançados ao seu Bastonário como jamais se viu. E quando António Marinho e Pinto venceu as eleições em 2010, reforçando a votação obtida em 2007, esse mesmo grupo serve-se da Ministra da Justiça para ajustar contas com António Marinho e Pinto.

 

Paula Teixeira da Cruz não é pois Ministra da Justiça. É, isso sim, líder de um grupo de facção que se serve do facto de Pedro Passos Coelho ter tido uma infeliz ideia ao escolhe-la para Ministra da Justiça, para ajustar contas com o Bastonário da Ordem dos Advogados. Grupo de facção esse que tem sido sucessivamente derrotado em eleições na Ordem dos Advogados, mas que tem uma má cultura democrática, não aceitando os resultados eleitorais, usando de todos os meios para achincalhar e humilhar o Bastonário da Ordem dos Advogados.

 

Além de que Paula Teixeira da Cruz, com os comportamentos e atitudes que tem tido, demonstra ser uma pessoa sem nível, sem educação e sem preparação para ocupar o cargo que ocupa. Mas infelizmente em Portugal tudo é possível.

publicado por novadireita às 14:04
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds