Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

370 de Restauração

No passado dia 1 de Dezembro comemoraram-se 370 ano sobre a Restauração da Independência de Portugal quando, um grupo de Portugueses, encabeçado pelo Duque de Bragança, Senhor Dom João, que mais tarde veio a ser coroado como Rei, se revoltou contra 60 anos de ocupação castelhana da Corôa Portuguesa, na sequência da derrota na Batalha de Alcácer Quibir, onde o Rei D. Sebastião I morreu sem deixar descendentes.

 

A ocupação espanhola foi prejudicial a todos os níveis para Portugal. Desde logo com a ocupação de antigas Colónias Portuguesas por parte da França, da Inglaterra e da Holanda, Países que estavam em guerra com Espanha, terminando com uma total perda de soberania de Portugal frente a Espanha, fruto da União Ibérica que Filipe IV de Espanha e III de Portugal estava a preparar, União Ibérica essa que faria de Portugal uma mera província de Espanha.

 

Foi pois contra esse status quo vigente que um grupo de Portugueses liderados pelo Duque de Bragança se decidiu revoltar. Com a Revolta de 1 de Dezembro de 1640 Portugal restaurou a sua Independência enquanto País e enquanto Povo, e D. João IV iniciou então a Dinastia da Casa de Bragança, Dinastia essa que só foi deposta com a triste e funesta implantação da República.

 

Porém o Portugal de hoje em nada difere do Portugal no período compreendido entre 1580 e 1 de Dezembro de 1640. O País perdeu a sua soberania com a adesão à União Europeia e à Moeda ùnica (para o qual tanto contribuiu o atadinho do Silva de Boliqueime, qual Miguel de Vasconcelos dos tempos modernos), somos (des)governados por uma corja de incompetentes que mais não são do que meros lacaios da Senhora Merkel e do Senhor Sarkhozy, a economia portuguesa encontra-se de rastos, 10% da polulação portuguesa encontra-se desempregada, temos uma agricultura ao abandono, pouco ou nada produtiva, e, pese embora tenhamos um vasto território marítimo, deixamos de ter frota pesqueira, deixando as nossas águas à mercê de pescadores espanhois.

 

Passados 370 anos sobre a Restauração da nossa Independência, numa altura em que Portugal nada vale enquanto País, é pois a altura de pensar se não vale a pena de novo fazer um novo 1º de Dezembro, de modo a que Portugal restaure a sua Independência, e corra com esta corja de Migueis de Vasconcelos que têm (des)governado o País.

 

Que o exemplo, a coragem, o patriotismo e o amor a Portugal de D. João IV iluminem aqueles que ainda amam este País, que estão revoltados com o estado em que a Pátria se encontra e que querem por a Pátria em ordem e devolver-lhe o prestígio e a credibilidade que a Pátria em tempos teve. É pois a altura de se fazer um novo 1º de Dezembro. O quanto antes. 

publicado por novadireita às 19:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds