Domingo, 26 de Fevereiro de 2012

Paragem Carnavalesca

Tenho uma declaração de interesses a fazer: sou um apaixonado do Carnaval, vivo a quadra e mascaro-me sempre na época carnavalesca, independentemente de haver ou não (in)tolerâncias de ponto.

 

Recuando aos piores anos do cavaquismo, este Governo decidiu acabar com a tolerância de ponto na chamada terça-feira de Carvaval, dando o patético argumento que seria ridículo que a troika visse o País parado, tal como aconteceu na altura dos feriados de Junho do ano transacto.

 

Porém, muitos municípios houve por este País fora, alguns deles liderados pelo PSD, que, e muito bem, fizeram "orelhas moucas" à medida do Governo, e concederam tolerância de ponto nos respectivos municípios, já que tal iria contribuir para o desenvolvimento e crescimento da economia local. Não obstante Miguel Relvas já veio dizer que para o ano não haverá tolerância de ponto no Carnaval.

 

Mas o que não deixa de ser caricato e bizarro é que a Fomentiveste e a Finertec, empresas onde Pedro Passos Coelho e Miguel Relvas trabalhavam antes de virem para o Governo tenham concedido tolerância de ponto aos seus funcionários na terça-feira de Carnaval. Deviam seguir o exemplo dos seus funcionários que, nas vestes de governantes, querem acabar com mais uma tradição do povo português, de modo a satisfazer os interesses e desejos dos eurocratas de Bruxelas.

publicado por novadireita às 16:23
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 25 de Fevereiro de 2012

Decisão Acertada Até Quando

Desde que a República foi implantada que Portugal tem vindo a degradar-se a cada dia que passa,  de forma confrangedora e assustadora, que deixa o mais comum dos cidadãos verdadeiramente de cabelos em pé.

 

Essa degradação de Portugal é visível a vários níveis: político, económico, social, cultural e moral. Porém, é para falar da degradação de Portugal a nível moral, ou de costumes, que escrevo este artigo.

 

Com a implantação da República, a degrdação moral do País é uma verdade insofismável. Primeiro liberalizaram o aborto, que é dos crimes mais hediondos existentes à face da terra. De seguida, banalizaram o acesso ao divórcio, sendo que hoje divorciar é quase tão fácil como beber um copo de água (apesar da seca que assola o País), eliminando do regime jurídico do divórcio o conceito de culpa, que é dos principais conceitos do Direito Civil. E, de seguida, legalizaram o "casamento" civil de duas pessoas do mesmo sexo, equiparando-o ao casamento civil de duas pessoas de sexo diferente.

 

Tudo isto mais não são do que alterações legislativas aberrantes num País que tende a ser um manicómio em autogestão, gerido e (des)governado por verdadeiros inimputáveis.

 

Mas para que a aberração moral do País aumentasse ainda mais, eís se não quando o bizarro e exótico Bloco de Esquerda, liderado pelo inenarrável Frncisco Louçã apresentou um projecto de lei que permitia a adopção de cianças por "casais" do mesmo sexo.

 

Convenhmos que os superiores interesses dos menores não ficariam devidamente acautelados, que certamente as crianças iriam ficar com traumas e sequelas para o resto das suas vidas caso tal alteração legislativa singrasse, o que certamente iria contribuir para um aumento da facturação dos consultórios dos psiquiatras e psicólogos.

 

Felizmente que em boa hora o Parlamento deste País chumbou tão bizarro, extótico e aberrante processo legislativo que iria ainda mais aumentar a degradação moral do País. Porém, do resultado da votação parlamentar há dados que me deixam apreensivo quanto ao desfecho desta votação,  que, mais cedo ou mais tarde, a adoção de crianças por "casais" do mesmo sexo venha a merecer consagração legal.

 

É que dos partidos que compõem a maioria que nos (des)governa, houve 9 votos a favor no PSD a favor da alteração legislativa proposta pelo Bloco de Esquerda, e 1 abstenção e 1 voto a favor no CDS (de João Rebelo e e Adolfo Mesquita Nunes, respectivamente).

 

Há dentro do PSD quem seja a favor da defesa de causas ditas fracturantes, como a (ainda) Ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, e o piegas do Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho. E os deputados da bancada do PSD que votaram a favor da alteração legislativa do BE são próximos de Pedro Passos Coelho e de Paula Teixeira da Cruz.

 

Quanto ao CDS, desde que Paulo Portas ascendeu à liderança do partido, o partido sofreu uma viragem a 180 gráus nas suas opcções e orientações políticas, que o levou a caminhar a passos largos para se integrar no sistema que o próprio Paulo Portas, enquanto Director de "O Independente" veementemente criticou. Pelo que não espanta que entre as pessoas que são próximas de Paulo Portas haja quem defenda a proposta legislativa do BE.

 

Aguardemos pois pelas cenas dos próximos capítulos na degradação moral de Portugal.

publicado por novadireita às 16:08
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds