Sábado, 30 de Julho de 2011

Um Pote Chamado Caixa Geral de Depósitos

Com cerca de um mês de governação, o Governo de coligação PSD/CDS procedeu à nomeação da nova Administração da Caixa Geral de Depósitos, nomeando 11 Aaministradores (tantos quantos os números doas Ministérios que este Governo comporta), em detrimento dos anteriores 7 administradores.

 

Os actuais administradores da Caixa Geral de Depósitos são todos filiados no PSD e no CDS, sem qualquer curriculum profissional na área da banca, e amigos e da confiança pessoal de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas. As suas nomeações para o Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos foi a melhor maneira para lhes arranjar emprego com um bom ordenado e óptimas regalias numa altura em que Portugal se vê a braços com uma grave e profunda crise económica, e com o desemprego a aumentar.

 

Afinal, neste Governo vão haver jobs para os boys e a girls do PSD e do CDS, à imagem e semelhança dos anteriores Governos que este País já teve. A vergonha, o deboche e o compadrio vão continuar a existir.

 

Curiosamente, a Caixa Geral de Depósitos, que Passos Coelho queria privatizar antes das últimas eleições, é uma óptima agência de empregos para os militantes do PSD e do CDS. Há muita sede de chegar ao pote. E muito incompetente para dar emprego, emprego ese que, não fora a cunha partidária, jamais o conseguiria arranjar.

publicado por novadireita às 18:09
link do post | comentar | favorito
|

Bloco de Esquerda Quer Legalizar a Eutanásia

O Bloco de Esquerda, essa inenarrável e abjecta força política, quer apresentar um projecto de lei ao Parlamento, com vista a legalizar a eutanásia, ou seja, a morte medicamente assistida em Portugal.

 

O Bloco de Esquerda é um partido que defende leis exóticas e aberrantes em matérias de princípios, valores e costumes, que me leva a colocar em causa a sanidade mental dos autores desses projectos de lei.

 

Foi a legalização e a liberalização do aborto, foi a despenalização do consumo de drogas leves, foi o "casamento" civil de duas pessoas do mesmo sexo nas mesmas condições em que duas pessoas do sexo diferente o podem fazer, leis essas que já estão em vigor na nossa (des)ordem jurídica, e que contaram com o apoio do PS e do PCP, e agora querem legalizar a eutanásia.

 

A ideia do Bloco de Esquerda é clara. Como o Bloco de Esquerda sofreu uma copiosa e estrondosa derrota nas últimas eleições legislativas, sendo quase que reduzido à sua insignificância, quer aproveitar o facto de o PS se encontrar amarrado aos compromissos assumidos no memorandum de ajuda externa a Portugal celebrado com a troika, o que o impede de fazer uma oposição mais contundente ao Governo PSD/CDS, para vir a asumir a liderança da oposição e assim lançar mais um tema fracturante, de modo a obter mais alguns apoios.

 

Só que com as leis exóticas e bizaaras defendidas pelo Bloco de Esquerda, Portugal corre o risco de se transformar num manicómio em autogestão.

publicado por novadireita às 12:20
link do post | comentar | favorito
|

Duplo Orçamento Rectificativo

O Governo anunciou que vai apresentar nos próximos dias um duplo Orçamento rectificativo. O primeiro será apresentado e discutido no Parlamento já em Agosto, e, segundo o Ministro das Finanças, destina-se a implementar medidas de apoio à banca, no âmbito do memorandum de ajuda externa assinado pela troika, e o segundo será provavelmente apresentado e discutido em conjunto com o Orçamento de Estado para 2012, em Outubro próximo.

 

Apesar de este Governo não o querer dizer olhos nos olhos aos portugueses, é de esperar mais medidas de austeridade, sendo que quem as tem que suportar são sempre os mesmos: Ou seja, todos aqueles e aquelas que vivem honradamente do seu trabalho, que geram riqueza, e que pagam impostos e deles não podem fugir.

 

Isto porque apesar de Miguel Relvas vir dizer quase todos os dias que o Governo vai implementar medidas que impliquem uma redução da despesa do Estado, o certo é que não as implementa, e Miguel Relvas, bem como o Governo, correm o risco de não serem levados a sério, e o estado de graça de que o Governo ainda goza, ruir como um castelo de cartas. E não são medidas demagógicas, como as deslocações dos membros do Governo em clase turística semrpe que viagem de avião no espaço da União Europeia, a proibição do uso de carros do Estado para fins particulares, ou a medida folclórica e bizarra adoptada por Assunção Cristas de proibir o uso da gravata no Ministério da Agricultura nos meses de Verão, que farão reduzir a despesa.

 

É que em termos de demagogia, este Governo segue fielmente as pegadas dõ Governo de José Sócrates.

publicado por novadireita às 12:10
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Julho de 2011

(Mais) Uma Contradição Portista

Tenho dito por várias vezes que Paulo Portas é um verdadeiro case study da política portuguesa. Sobretudo no que diz respeito à mudança de opiniões, opiniões essas que mudam ao sabor do vento.

 

Em matéria de opiniões, Paulo Portas é uma pesssoa que diz hoje uma coisa, e amanhã o seu contrário. E, à boa maneira dos vira-casacas e troca-tintas, não sabe dar uma explicação válida e credível para tão radical e súbita mudança de opinião.

 

A última cambalhota a nível de mudanças de opinião operada por Paulo Portas aconteceu ontem no Brasil, e prende-se com o acordo ortográfico. Ou, melhor dizendo, com o aborto ortográfico, que é o termo pelo qual eu designo esse verdadeiro atentado à Lingua Portuguesa.

 

Na sua visita ao Brasil, na qualidade de Ministro dos Negócios Estrangeiros, visita essa paga com o dinheiro de todos nós, contribuintes, que pagamos os nossos impostos e deles não podemos fugir, Paulo Portas, quando inquirido sobre a entrada em vigor do novo acordo/aborto ortográfico, e depois de grande pressão dos brasileiros para que o mesmo entrasse rapidamente em vigor, disse que o mesmo entraria em vigor em Portugal na data prevista, ou seja, a 1 de Janeiro de 2012.

 

O aborto ortográfico é um verdadeiro atentado não só à nossa língua, como também à nossa soberania e à nossa identidade enquanto País soberano e independente. Esse aborto mais não é do que um puro engajamento ao Brasil, País que foi descoberto por Portugal, mas que fala e escreve um português bem poir do que o português que se fala e escreve em Portugal. E é o português que se escreve e fala no Brasil, que é de pessima qualidade, que se pretende que se fale e se escreva em Portugal.

 

Muitas são as vozes, provenientes dos mais diversos quadrantes políticos e ideológicos, que se manifestam contra a entrada em vigor em Portugal do aborto ortográfico. Muitos são aqueles e aquelas por esse País fora que dizem categoricamente que se recusam a escrever de acordo com as regras do novo aborto ortográfico. A eles eu me associo.

 

Ora uma dessas vozes que tão crítica foi do aborto ortográfico foi precisamente a de Paulo Portas. Que agora vem precisamente defender a rápida entrada do mesmo me vigor, com o argumento de que os acordos celebrados entre os Estados na ordem internacional são para serem cumpridos. Como se não existisse a figura jurídica da renegociação dos acordos.

 

É mais uma das muitas cambalhotas dadas por esse troca-tintas da política portuguesa. Sobretudo em matéria de defesa do interesse nacional. Interesse nacional esse que ele defendeu até à exaustão enquanto Director de "O Independente", mas que, tal como Mário Soares fez com o socialismo, que o meteu na gaveta, Paulo Portas, enquanto dirigente partidário, e enquanto comissário político de Estados estrangeiros (recuso-me chamar essa criatura de estadista e de governante), meteu na gaveta.

 

Quero aqui dizer a Paulo Portas que ontem, hoje e sempre, Portugal (ainda) é Independente. E que tudo farei para que esse aborto ortográfico não entre em vigor.

publicado por novadireita às 14:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 23 de Julho de 2011

Terrorismo Sem Fronteiras

Um ataque terrosista sem precedentes lançou o caos na pacata e ordeira Noruega. As ruas de Oslo transformaram-se num autêntico caos, na sequência de violentas explosões que ocorreram em edifícios governamentais, incluindo no gabibete do Primeiro Ministro, que por sorte não se encontrava no local.

 

De acordo com as autoridades policiais, as primeiras suspeitas indicam que o autor do atentado terrorista seja um cidadão norueguês com ligações à extrema direita, que já estará detido. Mas não é de excluir um atentado com a mão de fundamentalistas islâmicos.

 

O terrorismo é uma triste realidade do quotidiano, que não tem fronteiras. Até os Países mais pacatos e pacíficos como a Noruega não estão imunes a atentados terroristas. Há pois que combater esta praga.

publicado por novadireita às 12:21
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Julho de 2011

Derraoagem nas Contas Públicas

Foi amplamente noticiado pelos principais órgãos de comunicação social que Pedro Passos Coelho, numa reunião do Conselho Nacional do PSD que decorreu à porta fechada, terá dito aos conselheiros nacionais laranjas que havia uma derrapagem colossal das contas públicas.

 

O alarme soou à porta de todos os portugueses, receosos que algo de grave viesse por aí bater às nossas portas. Logo de seguida, o Ministro das Finanças, numas patéticas e infelizes afirmações que mais pareciam uma chalaça humorística de quinta categoria, veio dizer que colossal era o esforço que o Governo tinha que fazer para cumprir as metas do défice para este ano, acordadas com a troika. E mais recentemente essa anedota política que dá pelo nome de Pedro Passos Coelho, e que só é Primeiro Ministro de Portugal porque este País é um País de bananas veio dizer que não há derrapagem das contas públicas.

 

Tudo isto mais não são do que meras manobras de diversão para distrair o povo, dizer que não há nada de grave e, quando o povo estiver bem adormecido e desviado do rumo da (des)governação do País, ser confrontado com mais um pacote com mais medidas de austeridade que vão ao bolso de todos nós, medidas essas que não faziam parte dos programas eleitorais de PSD e CDS.

 

Não me surpreende mesmo nada que exista uma derrapagem das contas públicas nacionais. Com efeito, e pese embora tenha havido uma mudança de Governo, as políticas desastrosas e ruinosas para o País subsistem, são como o Toyota, vieram para ficar. PS, PSD e CDS são todos farinha do mesmo saco, e PCP e BE jamais serão uma alternativa de Governo válida e credível a este sistema podre e caduco saído da famigerada e sinistra Revolução de 25 de Abril de 1974.

publicado por novadireita às 11:26
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Julho de 2011

Irlanda Também É Lixo

A Moddy`s, essa famigerada agência de notação financeira, decidiu baixar ratting da dívida soberana da Irlanda e, à imagem e semelhança do que fez com Portugal, classificou a dívida irlandesa de lixo. Além de que o ratting da Itália, que é a terceira maior economia europeia, desceu para níveis preocupantes.

 

Afinal Portugal não está sozinho. Tem a companhia da Irlanda, e parece que está para ter também a companhia da Grécia, da Itália e da Espanha. É caso para dizer uma frase do hino do Liverpool: "You`ll Never Walk Alone". Só que por maus motivos.

publicado por novadireita às 17:01
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Julho de 2011

Morreu Maria José Nogueira Pinto

Estava eu numa reunião da Comissão Nacional de Estágio e Formação da Ordem dos Advogados quando me deram a notícia da morte de Maria José Nogueira Pinto. Era uma morte esperada, visto que Maria José Nogueira Pinto sofria de um câncro no pancreas, descoberto há escassos meses, mas já numa fase muito adiantada da doença.

 

Maria José Nogueira Pinto era uma mulher firme e coragosa, de um grande talento e inteligência, tendo sido a primeira mulher a dirigir uma bancada na altura uma bancada parlamentar - a do então PP -, que a dirigiu de forma exemplar. Era também, para além disso, uma mulher de ideias e convicções muito fortes.

 

Conheci pessoalmente Maria José Nogueira Pinto quando militei no então Partido Popular. Apoiei a sua candidatura à liderança do partido quando disputou a liderança a Paulo Portas. Compreendi as razões que em 2007 a levaram a sair do CDS, em ruptura com Paulo Portas, pois já antes, em 2003 eu eoutros militantes tinhamos saído do CDS, igualmente em ruptura com Paulo Portas. Porém já não compreendi as razões pelas quais Maria José Nogueira Pinto apoiou no Congresso de Lisboa de 2002 a candidatura de Paulo Portas à liderança do partido, Congresso esse que foi a maior fasra e fraude política de que há memória, como não compreendi as razões que a levaram em 2009 a apoiar a candidatura socialista de António Costa à Câmara Municipal de Lisboa e nesse mesmo ano a integrar as listas do PSD por Lisboa nas eleições legislativas, situação que se verificou nestas últimas eleições legislativas. Isto porque Maria José Nogueira Pinto sempre se assumiu como uma pessoa de Direita, e o PS e o PSD não são partidos de direita.

 

Que descanse em Paz, depois de uma vida de combate político. A sua morte é uma perda para a política portuguesa.

publicado por novadireita às 09:55
link do post | comentar | favorito
|

Expeculação Sem Limites

A agência de notação financeira Moddys desceu consideravelmente o ratting da dívida pública portuguesa, colocando-a num nível que os analistas consideram como lixo tóxico, o que leva a que se considere como operação de alto risco a compra de dívida soberana portuguesa.

 

Essa descida do ratting da dívida soberana portuguesa por parte da Moddys teve logo impacto na sessão da Bolsa de Valores de Lisboa, tendo-se ontem registado a pior sessão dos últimos anos, com perdas significativas no sector bancário. Para além de que outras bolsas europeias registaram igualmente prejuízos consideráveis.

 

Se as outras agências de notação financeira acompanharem a descida efectuada pela Moddys relativamente à dívida soberana portuguesa, Portugal corre o sério e grave risco de entrar em bancarrota. O que não deixa de ser inédito, quando o Governo dá indícios não só de cumprir o rigoroso plano de austeridade imposto pela troika composta pelo FMI, BCE e UE, como também implementa medidas de austeridade que vão para além das medidas impostas pela troika, como esse imposto sobre o subsídio de Natal, sobre o qual aqui já me pronunciei.

 

Há pois em minha modesta opinião de leigo, já que não sou economista, um ataque expeculativo sem precedentes por parte dos mercados a Portugal. Como também há uma total perda de soberania por parte de Portugal. Perda essa de soberania que se verificou aquando da ractificação do Tratado de Maastricht, que trouxe consequências bem nefastas para Portugal. Na altura Manuel Monteiro bem que avisou para os perigos de perda de soberania em que Portugal incorria caso ractificasse o Tratado de Maastricht. Chamaram-no de louco, de radical e de extremista. Agora vê-se quem é que é o louco, o radical e o extremista.

publicado por novadireita às 09:39
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 5 de Julho de 2011

Bipolaridade do Estado Português

A doença bipolar é uma doença do foro psíquico que se caracteriza por alterações subitas de humor e de comportamento. Um doente bipolar tão depressa atinge picos de euforia extrema, como logo de seguida mergulha na mais profunda das depressões. Daí que muitos doentes bipolares tenham uma dupla personalidade.

 

O Estado Português na sua actuação também padece de uma dupla personalidade. Com efeito, quando investido no papel de credor, é exímio na cobrança dos seus créditos, não perdoando um cêntimo que seja no pagamento dos créditos que lhe são devidos e cobra juros altíssimos e megalómanos quando os devedores não podem proceder ao pagamento integral dos seus débitos. E quando se sencontra investido no papel de devedor, paga os seus créditos tarde e a más horas, quando quer e lhe apetece, e sem que haja lugar ao pagamento de juros compensatórios e moratórios quando o Estado se atrasa no pagamento dos seus débitos.

 

Esta situação que acabo de relatar verifica-se no que tange ao pagamento dos honorários e despesas dos Advogados e Advogadas que exercem o patrocínio oficioso aos cidadãos economicamente carenciados que não têm possibilidades económicas de contratar um Advogado e/ou de pagar as custas de um processo judicial, dado que Portugal tem o regime de custas processuais mais alto da União Europeia.

 

Pese embora o Estado Português se tenha comprometido por lei a pagar pontualmente os honorários e despesas dos Advogados e Advogadas que exercem o patrocínio oficioso, estando de resto consagrado na lei que o pagamento desses mesmos honorários e despesas vence-se no mês seguinte após o Advogado ter solicitado o pagamento dos seus honorários e despesas, o que só acontece com o termo do processo, que pode levar anos a verificar-se, o certo é que apenas em Abril passado é que o Estado Português pagou os honorários e despesas dos Advogados que exercem o patrocínio oficioso relativos a Dezembro último. E encontram-se por pagar os honorários e despesas relativos aos meses de Janeiro, Fevereiro, Março, Abril e Maio, numa dívida que ascende a €: 25 mil milhões, segundo os números divulgados pela Ordem dos Advogados.

 

Os últimos Governos de José Sócrates transformaram o Estado Português no maior caloteiro de que há memória, sobretudo pelo modo como lida com os Advogados e Advogadas que exercem o seu patrocínio forense. Paga-lhes tarde e a más horas os honorários que lhe são devidos, sem lugar ao pagamento de juros moratórios e compensatórios, protelando até à exaustão o pagamento desses mesmos honorários. Honorários esses que são modestos, na ordem dos €: 200,00 a €: 300,00 por processo. E em contrapartida paga pontualmente sumptuosos e megalómanos honorários aos grandes escritórios de advocacia situados em Lisboa, de onde são oriundos muitos dos seus governantes, ou para onde lá vão quando acabam o exercício das funções governativas. E esta imagem de que o Estado Português é o maior caloteiro existente à face da terra parece que tende a continuar com este Governo de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, que fazem autênticas orelhas moucas aos apelos do Bastonário da Ordem dos Advogados, no sentido de se proceder ao imediato pagamento aos Advogados que exercem o patrocínio oficioso dos honorários e despesas que se encontram vencidos.

 

Este tipo de comportamento do Estado Português em nada o enobrece e o dignifica. Antes pelo contrário. Só o descredibiliza ainda mais, para além de o mesmo ser vergonhoso. Há que acabar com este tipo de comportamento do Estado Português para com os Advogados que exercem o patrocínio oficioso, entre os quais me incluo, e que não podem nem devem serem tratados pelo Estado Português como se fossem escravos.

publicado por novadireita às 12:18
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds