Terça-feira, 29 de Dezembro de 2009

Bom Ano Novo

Uma vez que amanhã parto para Beja, a fim de passar o Ano Novo, e como me vou encontrar privado do acesso à Internet, resta-me desejar a todos os leitores e leitoras deste blog que o ano de 2010 traga a todos vós muitas alegrias e felicidades pessoais, familiares e profissionais.

 

E, já agora, que Portugal saía da profunda crise em que se encontra mergulhado, e da qual não parece haver fim à vista. E, sem pedir muito, que a República seja definitivamente abolida, pois a mesma é a mãe da crise em que Portugal vive

publicado por novadireita às 18:38
link do post | comentar | favorito
|

José Sócrates e José Zapatero - Quão Semelhantes?

Os Primeiros-Ministros de Portugal e de Espanha, José Sócrates e José Luís Zapatero têm muitas semelhanças entre si.

.

A ambos o poder caiu-lhes nas mãos aos trambolhões, quando menos o esperavam e sem que estivessem minimamente preparados para o receber.

 

José Sócrates ascendeu ao Governo depois de uma fuga de Durão Barroso para Bruxelas, na sequência de uma clamorosa derrota do Governo PSD/CDS nas Eleições Europeias de 2004, seguida de um Governo presidido por Pedro Santana Lopes em que nem sequer teve tempo para respirar, e que contou com firme oposição de Jorge Sampaio, que, tudo fez para, uma vez afastado o seu amigo Ferro Rodrigues da liderança do PS, colocar novamente o PS à frente do Governo de Portugal.

 

José Luís Zapatero ascendeu ao Governo na sequência dos atentados de Madrid ocorridos a 11 de Março, a escassos 3 dias de umas eleições legislativas em que todas as sondagens davam como vencedor o PP de Mariano Rajoy com uma grande vantagem sobre o PSOE de José Luís Zapatero. Inicialmente o Governo do PP, então presidido por José Maria Aznar atribuiu a autoria dos atentados de Madrid à ETA, que prontamente negou a sua implicação nos mesmos. A autoria desses atentados coube à Al Quaeda, autoria essa que o Governo espanhol sabia desde a primeira hora. Não obstante, o Governo de Espanha mentiu aos espanhois sobre a autoria dos atentados de 11 de Março. Mentira essa que custou a vitória ao PP nas eleições legislativas disputadas daí a 3 dias.

 

Quer José Sócrates quer José Luís Zapatero defendem modelos de sociedade assentes em ideias fracturantes, aberrantes, bizarras e contra natura.

 

Na legislatura 2005-2009 José Sócrates submeteu a referendo a vida humana, permitindo a liberalização do aborto. Para tal contou com a cumplicidade de Cavaco Silva, que permitiu tal referendo e, em contrapartida, essa mesma cumplicidade existente entre ambos, negou aos Portugueses e às Portuguesas o referendo ao Tratado de Lisboa, que alienou em favor da União Europeia o pouco que resta da soberania de Portugal. Referendo esse ao Tratado de Lisboa que fora uma das promessas eleitorais do PS nas Eleições Legislativas de 2005.

 

Na legislatura 2004-2008 José Luís Zapatero alterou o regime jurídico do casamento e da adopção em Espanha, permitindo que duas pessoas do mesmo sexo possam contrair casamento civil nas mesmas condições em que o podem fazer duas pessoas de sexo diferente, e que duas pessoas do mesmo sexo possam adoptar crianças nas mesmas condições em que duas pessoas de sexo diferente o possam fazer.

 

Trataram-se da implementação de medidas polémicas, que mexem com os mais elementares princípios e valores que regem as sociedades portuguesa e espanhola.

 

Agora na legislatura 2009-2013 José Sócrates, tentando copiar o seu amigo espanhol, quer permitir que em Portugal duas pessoas do mesmo sexo possam contrair casamento civil nas mesmas condições em que o podem fazer duas pessoas de sexo diferente. E na legislatura 2008-2012 José Luís Zapatero quer discutir a lei do aborto em Espanha, para o liberalizar, seguindo o exemplo do seu amigo português.

 

Portugal foi dos primeiros Países no Mundo a abolir a pena de morte. Há bem pouco tempo, José Sócrates, com a cumplicidade de Cavaco Silva, voltou a reintroduzí-la na nossa ordem jurídica. Não para condenar criminosos, mas para liquidar inocentes. Tudo porque os nossos políticos desrespeitam legalmente a vida intra uterina, que é vida humana.

 

Espero pois que o Rei de Espanha, D. Juan Carlos I não assine a lei do aborto nese país Ao menos que os espanhois tenham mais juízo nessa matéria, talvez por serem uma Monarquia, já que os Primeiros-Ministros de Portugal e de Espanha são autênticas almas gémeas. José Sócrates e José Luís Zapatero são autênticos simile com similibus, com diz o meu Colega de escritório aqui de Santa Comba Dão, Dr. Ernesto Martins de Almeida.

 

Quem estiver interessado em que o Rei de Espanha não assine a lei do aborto basta ir a http://majestadnofirme.com.

 

publicado por novadireita às 16:12
link do post | comentar | favorito
|

Execuções na China. Até Quando?

A "justiça" chinesa executou com uma injecção letal um cidadão britânico com 53 anos de idade que fora condenado à morte por um tribunal chinês, por tráfico de droga, e cuja sentença fora confirmada em sede de recurso.

 

Alegadamente o arguido padecia de anomalia psíquica, que, à face das leis vigentes num Estado de Direito democrático, fariam com que o arguido fosse declarado inimputável. Só que a China, para além de não ser um Estado de Direito democrático, fez autêntica "tábua rasa" da alegada anomalia psíquica de que o arguido padeceria.

 

A condenação à morte do cidadão britânico fez levantar um coro de protestos por todo o Mundo. Inclusivamente por parte do póprio Primeiro Ministro britânico, Gordon Brown, que condenou veementemente a execução de um seu compatriota. Não obstante, o Governo chinês ainda teceu duras críticas aos protestos de Gordon Brown, dizendo que ninguém tem que se imiscuir, directa ou indirectamente, na ordem jurídica chinesa.

 

É certo que o combate ao tráfico de droga é um dos flagelos da humanidade, e que o mesmo tem que ser severamente punido. Mas não com a pena de morte.

 

Perante esta atitude do Governo chinês, que mostra total desprezo pela vida humana, faço daqui um apelo ao Governo de Portugal: Que decrete um embargo à entrada de produtos chineses, que são produzidos em condições desumanas, e sem respeito pelos mais elementares direitos dos trabalhadores.

 

Terá José Sócrates coragem de decretar o embargo de produtos chineses? Infelizmente tenho sérias dúvidas.

publicado por novadireita às 15:36
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009

Natal 2009

Desejo a todos os leitores e leitoras deste blog, e respectivas famílias, um Santo e Feliz Natal, e que a Paz que o Deus Menino nos transmite reine nas nossas vidas.

 

Diz o ditado que Natal é quando o homem quiser. Porque raio é que todos os dias não hão-de ser dias de Natal?

publicado por novadireita às 20:08
link do post | comentar | favorito
|

O Que É Que Sócrates Quer?

No debate quinzenal que hoje teve lugar no Parlamento, José Sócrates diz que está disposto a negociar com os partidos da Oposição, mas que se recusa a Governar com dois orçamentos: um elaborado pelo Governo, e outro (ou outros) elaborado (s) pelos partidos da Oposição.

 

Ficamos sem saber o que é que José Sócrates e o PS querem. Se querem governar com o seu Orçamento de Estado, e dado que o PS não dispõe de maioria parlamentar, vão ter que negociar com os restantes partidos da Oposição, abdicando por conseguinte de algumas linhas mestras na elaboração do Orçamento de Estado. Se o PS e José Sócrates não cedem, sujeitam-se a que a Oposição em bloco chumbe o Orçamento de Estado. Só que os partidos da Oposição não podem apresentar um novo Orçamento de Estado.

 

O que José Sócrates quer é lixar-nos a todos. Sem dó nem piedade. Já o fez nos últimos 4 anos. E vai continuar a fazê-lo. Até que seja apeado do poder.

publicado por novadireita às 16:02
link do post | comentar | favorito
|

O que dizem de nós lá fora

Para aqueles e aquelas que ainda pensam que o PS foi uma boa opção para Portugal, atentem no seguinte detalhe:

 

Actualmente 80% do PIB (Produto Interno Bruto, ou seja, aquilo que o País produz) é gasto em despesa pública. E em 2010 vai passar a 90%.

 

É claro que a grande maioria dos portugueses e das portuguesas desconhece esta triste realidade, pois a comunicação social deste País, que se encontra domesticada pelo PS, não divulga tais factos.

 

Mas sempre se pode recorrer à informação prestadas pelos jornais lá de fora, para verem o que é que se passa em Portugal. Vejam, por exemplo o "El País", jornal espanhol conotado com o PS local. O link é o seguinte:

 

http://www.elpais.com/articulo/economia/Numeros/vez/rojos/elpepieco/20091220elpepieco_7/Tes

 

E depois vejam se o PS volta a ser uma boa opção

publicado por novadireita às 11:25
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2009

Casamentos Gays - Intervenha Senhor Presidente

O Meu Amigo Manuel Monteiro, na qualidade de Presidente do PND, Partido de resto do qual faço parte, enviou um comunicado à comunicação social, onde pede a intervenção de Cavaco Silva contra esta absurda lei que permite o casamento de homossexuais, fisando que se Cavaco Silva não intervier contra esta lei, então "a rua terá que se fazer ouvir".

 

Para Manuel Monteiro, "as manifestações louváveis, porque voluntárias e livres, de quantos se movimentam para promover um referendo sobre a questão esbarram numa aliança negativa no Parlamento, contra o pensamento da esmagadora maioria dos cidadãos portugueses. Essa aliança, traduzida no voto que permitiu a revisão de 2004, é hoje responsável pelo facto decadente, de estarmos entretidos com um assunto desta natureza, quando o colapso económico e financeiro está à nossa porta".

 

A aprovação do casamento de gays e de lésbicas por parte do Governo é uma aprovação feita sem honra nem glória. Tal só sucedeu porque em 2004 o PSD e o CDS juntaram os seus votos ao PS, ao PCP e ao BE para alterar a Constituição. Quando se introduziu no art. 13º nº 2 CRP a recusa da discriminação face à orientação sexual, já se sabia que o próximo passo a ser tomado seria a aprovação do casamento de duas pessoas do mesmo sexo.

 

Que a esquerda socialista, comunista e bloquista o tivesse proposto e assim alterado o texto constitucional, pode-se entender perfeitamente. Mas o que já não é concebível é que a grande maioria dos Deputados do PSD e do CDS tivessem subscrito e apoiado tal medida. A menos que esses Deputados estejam com muita pressa de casarem com pesoas do mesmo sexo.

 

O sistema político cava todos os dias ainda mais a sua sepultura. E em vésperas das comermorações dos 100 anos desta República da treta, seria avisado lembrar aos defensores da dita que não andamos muito longe da queda do regime instaurado a 5 de Outubro de 1910. Queda essa que, como cidadão Monárquico e de Direita, desejo que seja muito breve. Para não dizer imediata.

publicado por novadireita às 15:00
link do post | comentar | favorito
|

Um Manicómio em Auto Gestão

Quando inquirido por um jornalista sobre o estado em que Portugal se encontrava na altura do PREC, o Prof. Antunes Varela disse que Portugal era um manicómio em auto gestão.

 

Tinha razão o Prof. Antunes Varela na frase que proferiu, e que se adequa perfeitamente ao estado em que o País se encontra. Vejamos:

 

É implantada a República na sequência de uma luta fratricida entre Portugueses. Para conseguir ser implantada a República, houve a necessidade de, dois anos antes, terem assassinado o Rei e o Princípe Herdeiro. Implantada a República, lança-se uma perseguição sem tréguas à Igreja Católica, para além de o País merulhar numa profunda crise política, com frenéticas e sucessivas mudanças de Governo e Chefes de Estado a serem destituídos antes mesmo de cumprirem integralmente os seus Mandatos. Isto para não falar na grave crise económica em que o País se encontrava mergulhado, com as contas públicas completamente de rastos.

 

Para pôr termo ao regabofe e ao deboche em que o País se encontrava mergulhado com a1ª  República é implantado o Estado Novo. Pese embora António de Oliveira Salazar tenha conseguido equilibrar as contas públicas, e deixado o País com os cofres cheios de dinheiro, ele tem a sua quota parte de responsabilidades pelo estado em que Portugal actualmente se encontra.

 

António de Oliveira Salazar era Monárquico, para além de ter sido apoiado por muitos Monárquicos que viam nele o salvador de que o País tanto precisava para se curar dos males que lhe tinham sido infligidos por 16 anos de uma República de políticos irresponsáveis. E deu indícios de que, mais dia, menos dia, iria restaurar a Monarquia em Portugal.

 

Incentivou o casamento de Dom Duarte Pio, neto de D. Miguel I, que se exilara na Áustria, na sequência da Convenção de Évoramonte de 1834, com a Infanta Dona Maria Francisca, prima de D. Manuel II, último Rei de Portugal, que morreu no exílio em Londres sem descendentes. Tal casamento foi efectuado com o intuíto de aproximar os ramos legitimista, do qual Dom Duarte Pio era directo descendente, com o ramo liberal, ramos esses que se encontravam desavindos desde o exílio de D. Miguel I e que se agravaram com a morte de D. Manuel II sem descendentes. Aboliu a Lei do Banimento, que permitiu que a Família Real pudesse livremente regressar a Portugal, tendo a Família Real passado a residir em São Marcos, nas proximidades de Coimbra.

 

Porém, na hora de decidiu, vacilou. E apesar de António de Oliveira Salazar ter tido todas as condições políticas para ter restaurado a Monarquia, não só o não fez, como promulgou uma lei que confiscou para o Estado Português todos os bens pertencentes à Casa de Bragança.

 

Ao invés, em Espanha Franciso Franco chamou a si a educação do filho do Conde de Barcelona, opositor político de Franco e do seu regime, que era filho do último Rei de Espanha, D. Afonso XIII. E preparou D. Juan Carlos I para ser seu sucessor político quando Franco deixasse o poder. O que efectivamente veio a acontecer. Foi graças ao facto de Francisco Franco ter restaurado a Monarquia que Espanha é o que hoje é, e de não ter acontecido a Espanha o que aconteceu a Portugal após a queda sem glória do Estado Novo.

 

Veio a Revolução de 25 de Abril de 1974. Sob o pretexto de se proceder à democratização do País, cometeram-se atrocidades jamais vistas. Procedeu-se à entrega ao desbarate das Províncias Ultramarinas aos pretensos movimentos de libertação de cariz pró marxista, numa descolonização dita de exemplar (se foi um exemplo, foi-o pela negativa). Houve a nacionalização dos principais sectores da economia do País. Fez-se uma absurda reforma agrária, que liquidou por completo com a nossa agricultura. E esbanjou-se dinheiro num regabofe sem fim.

 

Passado o PREC, Portugal aderiu à então Comunidade Económia Europeia, que depois se transformou em União Europeia. Com a transformação da CEE na UE Portugal, ao contrário do que fizerem outros Países, como a Espanha, a Grã Bretanha, a França e a Dinamarca, não soube acautelar os seus próprios interesses, e alienou ao desbarate o pouco que lhe restava da sua soberania. Além de que o regabofe financeiro continuou. A CEE, e depois a UE enviaram muitos fundos que se destinavam a tornar a nossa economia competitiva, e que depois foram usados sábe-se lá como.

 

No plano interno, temos um País falido, quase que à beira da bancarrota, com um desemprego galopante, e umas contas públicas completamente à deriva. Temos um sistema de Justiça que, para além de ser quase inacessível ao cidadão comum, é perfeitamente permeável às pressões vindas do poder político, onde existem dois sistemas de Justiça: Uma para os ricos que, por mais atrocidades e crimes que cometam, saem sempre impunes. E outra para os pobres que, pelo simples facto de o serem, estão automaticamente condenados, por mais insignificante e menor que sejam os delitos que cometeram.

 

E no plano social, para além da fome que assola muitas famílias, das muitas fábrias e empresas que fecham, levando levas de trabalhadores para o desemprego, e de uma carga fiscal elevadíssima em que o pouco que conseguimos ganhar é destinado a sustentar o monstro do Estado, temos políticas em relação à família completamente aberrantes. Legalizou-se o aborto, vai ser permitido o casamento de duas pessoas do mesmo sexo, qualquer dia duas pessoas do mesmo sexo vão poder adoptar crianças e, a breve trecho, a eutanásia será legalizada.

 

Somos pois um País sem rumo, pobre, pobre, decadente e completamente à deriva. Definitivamente, Portugal é um manicómio em auto gestão, gerido por um bando de ininputáveis extremamente perigosos.

 

publicado por novadireita às 11:48
link do post | comentar | favorito
|

Raça de Campeão

Debaixo de um frio intenso e com uma chuva torrêncial, disputou-se ontem à noite no Estádio da Luz o Benfica-Porto, que terminou com uma justa vitória do Benfica sobre o Porto por 1-0.

 

Sem ter sido um jogo bonito, já que o estado do relvado não o permitiu, e sem grandes ocasiões de golo para ambas as equipas, o Benfica soube levar de vencida o Porto, que estava em estado de euforia perante as expressivas vitórias obtidas em Guimarães e em Madrid certamente julgava que viria ao Estádio da Luz vencer o Benfica com grande facilidade.

 

O Benfica adaptou-se melhor às dificeis condições climatéricas em que o jogo se disputou, e dispôs das melhores ocasiões de golo, contra uma apenas do Porto, para além de o árbitro não ter assinalado um claro penalty contra o Porto perante uma mão de Cristian Rodriguez na área do Porto.

 

O Benfica revelou pois ter raça de campeão na partida que disputou contra o Porto. Espero que mantenha essa atitude ao longo do campeonato para que em Maio eu possa fazer a minha dobradinha: Aliar à comemoração da manutenção da Académica na 1ª Divisão a conquista do título por parte do Benfica, já que a Taça de Portugal nenhum deles a pode ganhar.

publicado por novadireita às 11:09
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

Duelos anglo-lusos e luso-germânico

Determinou o sorteio hoje realizado que o adversário do Porto nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões fosse o Arsenal, e que os advesários de Benfica e Sporting nos dezasseis-avos-de-final da Liga Europa fossem o Hertha de Berlim e o Everton, respectivamente.

 

Perspectivam-se pois embates anglo-lusos e luso-germânico, com a particularidade de, relativamente à Liga Europa, o adversário do Benfica ter feito parte do grupo onde estava o Sporting, e o adversário do Sporting ter feito parte do grupo onde estava o Benfica.

 

À partida, Benfica e Sporting têm a tarefa mais facilitada, pois vão jogar com adversários de menor dimensão. Pior sorte teve o Porto, que vai ter que medir forças com o Arsenal. Mas antes o Arsenal do que o Manchester United, o Barcelona ou o Real Madrid. Mas a bola é redonda e o futebol é uma caixinha de surpresas.

 

Espero que, para bem do futebol português, Benfica, Porto e Sporting eliminem os seus adversários e sigam em frente nas provas da UEFA. Fica o desejo

publicado por novadireita às 18:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Revisão de Feriados

. Mais Atrasos nos Pagament...

. Arquivada Queixa-Crime Co...

. Doutor Manuel Monteiro

. Rei Ghob - E Agora Senhor...

. Terrorista Impune

. Congresso do PSD - Mais D...

. Combustíveis Voltam a Aum...

. 11 de Março de 1975; 37 A...

. Paragem Carnavalesca

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds